Seja bem-vindo ao Melissa Benoist Brasil, sua primeira, maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz Melissa Benoist, mais conhecida por interpretar a Supergirl na serie homônima. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu acima e divirta-se com todo o nosso conteúdo. Esperamos que goste e volte sempre!

Ocorrido no último dia 21, evento em San Diego na Califórnia (SDCC), a Comic Con contou com a presença de várias celebridades artistas famosos. No evento, Melissa Benoist (Supergirl) concedeu várias entrevistas e participou do painel junto com o cast da série de Supergirl.

“Eu estou no topo do mundo, estou me divertindo muito em Nova York, eu amo a Comic Con e estou feliz que estou aqui”

Também foram divulgados, no evento, informações sobre a quarta temporada no trailer da série:

 
Melissa fez sua estreia na Broadway em junho desse ano e recebeu muita atenção e prestígio pelos papéis em que trabalha.
A atriz revela ao ser perguntada como consegue manter tudo em controle considerando todos os trabalhos que está atuando: “Eu realmente gosto do que faço, eu sou felizarda e sortuda de ter as oportunidades que eu tive, Broadway foi o meu maior sonho antes da televisão ou filmes ou de qualquer coisa em que já atuei e eu não acho que iria me perdoar se eu não fizesse isso”.

Confira as fotos e entrevista legendado:

251.jpg 257.jpg MBBR0005~22.jpg MBBR0002~27.jpg
MBBR_281329.jpg MBBR_281429.jpg MBBR_28529.jpg MBBR_28329.jpg
MBBR0005~24.jpg MBBR0004~24.jpg MBBR0003~27.jpg MBBR0002~30.jpg
MBBR0012~6.jpg MBBR0011~8.jpg  MBBR0003~25.jpg MBBR0007~14.jpg

INICIO > APARIÇÕES E EVENTOS – APPEARANCES AND EVENTS > 2018 > 21.07 – ‘SUPERGIRL’ PRESS LINE DURING SAN DIEGO COMIC CON

INICIO > APARIÇÕES E EVENTOS – APPEARANCES AND EVENTS > 2018 > 21.07 – ‘SUPERGIRL’ PANEL DURING DAY 2 OF COMIC-CON IN SAN DIEGO

INICIO > APARIÇÕES E EVENTOS – APPEARANCES AND EVENTS > 2018 > 21.07 – COMIC-CON 2018: AUTOGRAPH SESSION

INICIO > APARIÇÕES E EVENTOS – APPEARANCES AND EVENTS > 2018 > 21.07- #IMDBOAT AT SAN DIEGO COMIC-CON 2018: DAY THREE

Melissa estará na Broadway até agosto e posteriormente volta a gravar Supergirl que tem sua estreia no dia 14 de outubro na CW.

 

Duas semanas atrás, eu estava do lado de fora do teatro Stephen Sondheim na 43rd Street entre a Broadway e a 6th Avenue em Nova York. Uma multidão de 500 pessoas se juntou na calçada para conseguir autógrafos da nova estrela de “Beautiful: The Carole King Musical”. Uma família passou por mim, uma mãe e sua filha adolescente, e quando elas se viraram para entender a causa da comoção, a adolescente gritou: “MÃE, É A SUPERGIRL!”
Sim, era ela. Também é a mulher que está interpretando Carole King na Broadway oito vezes por semana, Melissa Benoist. Conhecida por interpretar a prima do Superman na CW e pelo seu papel como estrela de Glee, onde a nativa de Littletown e graduada na Arapahoe High School cantou músicas como Wrecking Ball, New York State Of Mind, Diamonds Are A Girl’s Best Friend e outros hits. Beautiful marca sua estreia na Broadway, e eu tive o prazer de direcioná-la ao papel.
Eu não tinha conhecido a Melissa até nossos ensaios juntos, e eu sinceramente não sabia o que esperar. Seria ela uma pessoa “pés-no-chão” ou do tipo diva glamurosa? E como ela se adaptaria ao papel originado pela ganhadora do Tony Awards Jessie Mueller e seguido de outras atrizes incríveis?
Eu trabalho como Diretor Associado em Beautiful há dois anos, e quando não estou organizando estreias mundias de novas peças e musicais, estou trabalhando no teatro Stephen Sondheim dirigindo atores e atrizes aos papeis principais da Broadway. Eu também trabalhei com a West End Produções de Beautiful e encenei na versão japonesa. Então eu já trabalhei com atrizes ao redor de todo o mundo nesse papel, e cada vez é uma experiência diferente e única.

Mas eu fiquei surpreso com o quanto foi divertido trabalhar com a Melissa na sua estreia na Broadway. Nós nos conectamos instantaneamente. Alguns minutos após nosso primeiro ensaio, já estávamos compartilhando experiências de momentos em Denver.
Eu posso dizer, sem dúvidas, que Melissa — que está agendada para se apresentar até o dia 4 de agosto — é uma das pessoas mais “pés-no-chão” que eu já conheci e ela é exatamente tão encantadora quanto você pensa que ela é. Ela também é a mesma pessoa maravilhosa quando está ao redor de estrelas da TV (como ela estava na festa de sua estreia) ou quando está conversando com um fã que veio do centro-oeste apenas para vê-la.
Quando Melissa e eu nos sentamos para ler o roteiro pela primeira vez, eu fiquei imediatamente conquistado pelos seus instintos incríveis e sua curiosidade insaciável. Durante toda nossa primeira sessão, ela perguntava com avidez coisas sobre a história, a personagem, os relacionamentos e através de risadas e discussões, nós rapidamente conseguimos aperfeiçoar o tom do show. Diante dos meus olhos ela se transformou de Supergirl para Carole King.
É sempre um ótimo desafio pegar artistas únicos e trabalhar com eles em como encontrar a alma do personagem — um papel que deve honrar tanto o espírito da verdadeira Carole King, quanto a estética de um show teatral, brilhantemente criado pelo talentoso diretor (e meu amigo) Marc Bruni. Mas eu acho que a melhor parte sobre ser Diretor Associado é que Beautiful me permite buscar o melhor de cada ator com quem trabalho, para que o personagem seja unicamente deles mesmos. O diretor musical Jason Howland também faz isso maravilhosamente com as Caroles vocalmente, para que a audiência ouça, simultaneamente, a voz singular de cada atriz e ao mesmo tempo reconheça a entonação que caracteriza a Carole King.
Após minha sessões particulares com Melissa trabalhando no roteiro e na personagem, era a hora da encenação e coreografia. Nosso diretor de palco Peter Hanson ensinou os movimentos para a protagonista e nossa capitã da dança Sarah Sheppard mostrou a coreografia. Após Melissa conciliar a música e os diálogos com a encenação (que são muito complicados de fazer) e ter algumas sessões com alguns atores no palco, ela estava pronta para o “put-in”. O “put-in” é uma gíria do teatro que quer dizer um ensaio com todo o elenco e todos os elementos técnicos em seus lugares (luzes, movimentos de set automáticos etc.) mas sem a plateia.
Quando adicionamos todo o elenco no processo, toda a companhia respondeu rapidamente à energia calorosa de Melissa tanto no palco como fora dele. Eu fiquei particularmente impressionado com a química instantânea entre Melissa e Evan Todd (que interpreta o marido de Carole, Gerry Goffin). Foi ótimo poder ajustar momentos de suas respectivas performances para integrar a interpretação dos dois personagens e criar um casamento vivo no palco.
Após tudo isso, era hora de adicionar o ingrediente mais importante, a plateia. Na primeira performance os ingressos se esgotaram e o teatro estava lotado de uma audiência ansiosa; e eu admito que estava um pouco nervoso antes da hora de começar. Apesar de tudo, mesmo a Melissa já tendo conquistado a TV, essa era sua estreia na Broadway, e eu não deixava de pensar no que estaria passando pela sua cabeça no backstage. Antes de eu perceber, o show já havia começado e lá estava Melissa, passando por cima de todos os nervos e poderosamente interpretando a sutileza de cada momento e cada emoção, e maravilhosamente cantando as ótimas canções de Carole King, “Natural Woman,” “Some Kind of Wonderful,” “I Feel The Earth Move” e muitas outras.
Claramente seus dias de palco em Denver e seu treinamento teatral a deram uma ótima e forte base, e na sua estreia na Broadway ela parecia ser uma veterana.
Durante os períodos de ensaio nós nos encontrávamos regularmente para discutir o papel e algumas cenas, e ela absorvia todas as informações. Ela ama os detalhes e a peculiaridade de cada momento da mesma maneira que eu e, a cada ensaio, o papel (ironicamente) se tornava cada vez mais dela e cada vez mais uma manifestação da Carole.
No dia de sua estreia, a alegria radiante de ambas as partes do teatro era evidente. O elenco no palco e audiência de frente a eles a amavam igualmente. Ela interpreta a Carole com prazer, trazendo um brilho jovem ao primeiro ato e entregando todo seu poder e compostura no segundo.
Como deve estar abundantemente claro agora, o papel de Carole King se encaixa à Melissa perfeitamente. Ela canta com vontade todas as músicas e sua performance é segura, natural e entusiasmante. Enquanto eu permanecia em pé do lado de fora do teatro vendo a multidão tomar a rua em frente à porta pelo seu autógrafo, eu tive certeza que esse era apenas o primeiro de muitos momentos na Broadway para Melissa Benoist.

Mesmo sem terem se conhecido, Carole King teve um papel importante na vida de Melissa Benoist. Quando a nativa de Colorado fazia viagens de carro com a família no Sudeste, era dado a cada pessoa o comando sobre a música por uma hora. “Meu pai tocaria Garth Brooks. As crianças colocariam faixas da Disney,” lembra Benoist, e sua mãe sempre escolheria sua admirada Carole King. “Quando minha mãe tinha 14 anos de idade, ‘Tapestry’ foi o primeiro disco de vinil que ela comprou com o próprio dinheiro”, ela compartilha.

Quando criança, Melissa aprendeu a música de King. Mas enquanto crescia e se transformava numa adulta, ela desenvolveu uma conexão emocional com suas letras de musicas. “Carole é uma muito boa contadora. Ela é muito emotiva e otimista. Suas músicas são encorajadoras e sobre o amor” diz Benoist. “Esses sentimentos são muito importantes pra mim, eles formaram quem eu sou como mulher hoje.”

Com referência completa, Benoist, que atualmente estrela o título de Supergirl na CW, acaba de fazer sua estreia na Broadway como Carole King em Beautiful: The Carole King Musical. Ela interpretará um trabalho limitado até Agosto. “Eu amo a força interior da Carole, sua bondade e carinho. Eu nunca a conheci, mas não é preciso para dizer” ela observa. “Eu também amo o fato dela ser atrevida, audaciosa e vigorosa.”

JB: O que passou pela sua cabeça quando você foi escolhida para o elenco como Carole King em Barautiful?

MB: Eu fiquei com medo. Eu não havia feito isso há muitos anos, mas aí eu assisti o show. Enquanto eu estava sentada na audiência eu permeti me renovar e fiquei bem emocionada. Eu estava sentimental e nostálgica por causa da música, mas também eu pensava que estaria no palco fazendo o que Chilina Kennedy [responsável por interpretar Carole antes de Benoist] estava fazendo, e contar a história de Carole King desse jeito foi muito especial.

JB: É incrível pensar que Carole King tinha 17 anos quando ela escreveu seu primeiro hit número um.

MB: Eu mal conseguia cuidar de mim mesma quando eu tinha 17 anos. Eu não sei como ela conseguiu. Tem histórias dela indo a estúdios de gravações com musicistas palestrantes que eram tipo, 20 anos mais velho que ela. Ela comandava eles e administrava a banda, o que é maravilhoso.

JB: Qual foi uma das primeiras apresentações que você performou?

MB: Eu era acostumada a performar para os meus bichinhos de pelúcia, esse foi o primeiro tipo de apresentação que eu já tive. Eu dançava Bon Jovi e tinha um mullet (estilo de corte de cabelo) naquele tempo, então era bem divertido.

JB: Você arrasava em “Livin’ on a Prayer?”

MB: Sim, e também em “Wanted, Dead or Alive”. Eu acho que era o CD que meus pais tinham no aparelho de som. Eu simplesmente apertava o botão de início e dançava qualquer música que estivesse lá. Eu também fazia apresentações de ballet. Mas eu acho que o momento que eu descobri que queria experimentar fazer perfomances na minha carreira foi no ensino médio. Eu fiz teatro profissional perto de Denver e jantares de teatro e eu amava a comunidade. Eu amava o processo de ensaio. Eu amava criar algo do zero com as pessoas. Eu amava colocar palavras numa página e fazer parte dessa coisa mágica por algumas horas. Quando eu fiz A Chorus Line, o jogo mudou pra mim. Eu era Bebe Benzenheimer, cantei “At the Ballet”.

JB: Qual foi o melhor conselho que você já recebeu?

MB: Eu tenho recebido muitos conselhos de pessoas incríveis. O que eu tenho constantemente tentando falar pra mim mesma e desejado ter falado anos atrás, é para me divertir. Não levar as coisas tão a sério. Eu tenho muita sorte de poder fazer isso como meio de vida. TV e musicais são feitos para trazer alegria. Quando eu deixei a ideia de preconceitos por parte das pessoas poderem me julgar, quando eu me senti legal sobre o que eu estava fazendo, foi quando eu fiquei mais orgulhosa do meu trabalho. Por exemplo, um fiz um musical chamado Unauthorized Autobiography da Samantha Brown no Goodspeed Opera House. A música era difícil pra eu cantar e eu fiquei muito nervosa. Então eu tive um momento onde eu pensei, eu tenho que deixar tudo isso de lado e me apresentar. No segundo que eu fiz isso, eu tive um dos momentos mais divertidos que eu já tive no palco. Se é triste, íntimo ou até um momento feliz, eu penso em conduzir o caminho da história que estou contando. Se eu fazer isso ao invés de focar em como a performance é obtida, é o melhor jeito de contar a história.

Fonte: Forbes

Supergirl (Melissa Benoist) e equipe enfrentam Serena em uma batalha épica pela Terra.

O episódio 3×23 ‘Battles Lost And Won’ irá ao ar no dia 18 de Junho.

MBBR0009~1.jpg MBBR0007~1.jpg MBBR0008~1.jpg MBBR0004~5.jpg

[2015-PRESENTE] SUPERGIRL > TERCEIRA TEMPORADA > STILLS > 3×23 – BATTLES LOST AND WON

O Melissa Benoist Brasil é um site feito de fãs para fãs que não é afiliado e/ou mantém contato de alguma forma com a Melissa Benoist, amigos, agentes ou alguém relacionado à seus projetos. Esse site foi feito apenas para publicar notícias para pessoas que como nós, admira seu trabalho. O MBBR não tem nenhuma intenção de lucro. Caso pegue alguma tradução ou notícia exclusiva e reproduza em seu site, nos dê os devidos créditos.
Layout criado e desenvolvido por Lannie.D - Hosted by Free Fansite Hosting @ 2018 - Melissa Benoist Brasil