Seja bem-vindo ao Melissa Benoist Brasil, sua primeira, maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz Melissa Benoist, mais conhecida por interpretar a Supergirl na serie homônima. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu acima e divirta-se com todo o nosso conteúdo. Esperamos que goste e volte sempre!

Melissa Benoist estourou na televisão, mas seu ideal de show business original era estar onde ela está agora: Broadway. Seu verão assumiu a liderança no longa Beautiful: The Carole King Musical que terminará no sábado. O papel tem sido um ajuste orgânico para Benoist, que cresceu ouvindo a música de King enquanto alimentava a ambição de um dia chegar à Great White Way. “Estou essencialmente vivendo meu sonho de infância”, disse Benoist.

Além de marcar uma grande caixa profissional, no entanto, a mensagem do show de empoderamento feminino continua a ressoar para Benoist quando ela volta a filmar Supergirl. Ela se inspirou no personagem da vida real. King escreveu dezenas de canções de sucesso para os outros cantarem, mas depois superou desafios pessoais como o divórcio, a maternidade solteira e fazendo seu caminho na indústria da música dominada pelos homens, logo criando sua obra-prima, o álbum Tapestry de 1971.

O interesse dos fãs de Benoist ajudou a elevar a bilheteria da semana passada para o show em $845.619,50, em comparação aos $736.538 e $150.000 da semana passada, à frente da semana anterior. Na sexta-feira, a própria King assistiu à performance e, em seguida, juntou-se à chamada da cortina com uma reprise de “I Feel The Earth Move”.

Fazendo uma pausa entre duas das oito apresentações semanais de Beautiful, Benoist elaborou sua experiência no palco e também provocou a próxima quarta temporada de Supergirl. Ela também abordou a recente overdose de drogas relatada por Demi Lovato, sua ex-colega de elenco de Glee. Aqui estão exceções condensadas e editadas da conversa:

DEADLINE: Quando você se conectou pela primeira vez com a música de Carole King?

BENOIST: Tapestry foi o primeiro álbum que minha mãe já comprou com seu próprio dinheiro quando ela tinha 14 anos. Tão desnecessário dizer que era um básico da casa, pelo menos quando minha mãe estava escolhendo a música. Ambos os meus pais são fãs dela por isso sempre foi predominante quando eu era criança. E então o que eu acho tão maravilhoso sobre a música de Carole é que é tão fácil se relacionar em termos de aprender as lições da vida ou passar por desgostos ou tragédias ou crescer como pessoa ou descobrir quem você é como adulto, significa algo diferente . Ela é um gênio em traduzir muita humanidade em suas músicas.

DEADLINE: O que você pode dizer sobre a experiência de estar na Broadway? Você faria outro show no final da estrada?

BENOIST: Eu sempre me sinto muito brega e sincera quando falo sobre isso, porque sempre foi o que eu queria fazer quando criança. Então eu estou essencialmente vivendo meu sonho de infância, e isso é divertido. Mas isso me deu um novo respeito pelo que eu faço para viver e meio que reacendeu essa paixão que eu tenho. É tão diferente da televisão. Está muito mais envolvido. Vivendo uma história oito vezes por semana é difícil e desgastante emocionalmente, mas muito gratificante. Eu sempre estarei procurando por mais.

DEADLINE: Seus fãs da Supergirl seguiram você até Beautiful?

BENOIST: Nas primeiras semanas, sim. Eu vi muitos glifos do Superman na platéia. O que é ótimo. É tão maravilhoso. Eu também vi muitos fãs de Glee porque isso é obviamente um teatro musical.

DEADLINE: Muitas pessoas na platéia cantam junto – isso distrai você?

BENOIST: Eu realmente não consigo ouvir, para ser honesta. Eu posso ouvir as pessoas reagirem quando eu começo a tocar os primeiros acordes de uma música. Particularmente quando canto “It’s Too Late” ou “You Got a Friend”, que é um suspiro coletivo da platéia. Nesse ponto, sei que eles provavelmente estão cantando junto comigo e devem ser porque as músicas são tão conhecidas e animadas, otimistas e cheias de amor.

DEADLINE: Você esteve recentemente na Comic-Con – como você se sentiu depois de mergulhar no papel de Carole por oito shows por semana?

BENOIST: Eu acho que interpretar Carole e aprender muito sobre ela certamente afetará como eu me aproximo da Supergirl neste momento. Todo papel afeta você. Eu acho que ir para a 4ª temporada e entrar no lugar da Supergirl e vestir a capa vai parecer diferente de uma forma excelente, especialmente porque a história da Carole é essencialmente, possuir a si mesma e ser fiel a quem você é, que você é o suficiente. Isso é algo que eu sempre busco na Supergirl: maneiras de promover seu desenvolvimento como mulher e encontrar mais histórias fortalecedoras para contar sobre isso. Além disso, isso fez da Comic-Con uma explosão. Foi ótimo ver todo mundo. O elenco, todos nós genuinamente nos amamos. Estamos muito animados para a temporada.

DEADLINE: Então, o que os fãs podem esperar desta temporada em Supergirl?

BENOIST: A sala dos escritores está sendo ótima neste ano. Na última temporada, foi um monte de fogo e enxofre e muitas homenagens a Buffy the Vampire Slayer, o que foi ótimo porque eu era uma grande fã desse show. Nesta temporada, eles querem abordar tematicamente mais histórias que talvez espelhem o que está acontecendo com o estado do mundo e nosso país. Há um monte de sentimento anti-alienígena no início da quarta temporada que a Supergirl vai ter que enfrentar. Eu acho que sua principal premissa é que o medo em si é um vilão, e pode esperar conquistá-lo? Supergirl significa esperança, então vamos ver. Eu acho que o medo é seu maior oponente, porque é mais uma emoção do tipo fogo selvagem.

DEADLINE: Agora que já faz um tempo para você na CW, o que você pode dizer sobre a mudança para essa rede da CBS, onde o programa estreou?

BENOIST: Nos deu absolutamente uma sacudida de energia porque acho que nossa demografia por natureza ficou mais jovem. Há pessoas mais jovens assistindo à CBS, mas sua audiência não é de 13 a 25. A CW é especializada nisso. Eu senti totalmente a diferença. Nós só tínhamos um pouco mais de liberdade para fazer coisas mais ousadas ou histórias que podem ajudar a moldar e moldar perspectivas de audiência e formas de pensar. Isso é empolgante porque todos os dias no set estamos falando sobre como impactamos especificamente as meninas, mas mais do que isso, com o público jovem. O que eles pensam sobre o que estamos dizendo?

DEADLINE: Também houve relatos de que Glee pode ser revivido – você ouviu alguma coisa?

BENOIST: Eu não ouvi nada, mas eu não ficaria surpresa se isso acontecesse. Esse show tornou-se parte do zeitgeist instantaneamente quando saiu e foi tão influente. Ryan Murphy sempre tem algo maravilhoso na manga, então eu não ficaria surpresa.

DEADLINE: Falando em Glee, eu sei que Demi Lovato foi sua colega de elenco naquele programa. Você tem alguma opinião sobre a situação dela?

BENOIST: Eu estava de coração partido quando ouvi essa notícia. Eu trabalho muito tentando derrotar o estigma em torno da saúde mental e espero que ela esteja bem.

 

Fonte: Deadline

Deixe um comentário!
O Melissa Benoist Brasil é um site feito de fãs para fãs que não é afiliado e/ou mantém contato de alguma forma com a Melissa Benoist, amigos, agentes ou alguém relacionado à seus projetos. Esse site foi feito apenas para publicar notícias para pessoas que como nós, admira seu trabalho. O MBBR não tem nenhuma intenção de lucro. Caso pegue alguma tradução ou notícia exclusiva e reproduza em seu site, nos dê os devidos créditos.
Layout criado e desenvolvido por Lannie.D - Hosted by Free Fansite Hosting @ 2018 - Melissa Benoist Brasil